Dia 30 de Setembro o Santuário da Lapa celebrou a Festa do seu Fundador

0
1331
Cova do Monge

Neste domingo, 30/09, os padres, bispos, leigos, leigas e malhares de romeiros presentes no Santuário do Bom Jesus da Lapa e de  N. Sra. da Soledade, comemoraram a festa de seu fundador, o caridoso e penitente, Pe. Francisco da Soledade. Durante três dias, foram realizadas celebrações Eucarísticas, às 19h, suplicando a Deus pele Beatificação do Monge, onde, a Igreja da Lapa, informou o reitor Pe. Devaldo Menêz, CSsR, que está fazendo pesquisas de documentos sobre a vida do padre para abrir a causa do Servo de Deus no Vaticano. Frisou que o fundador ainda não é reconhecido como santo pela Igreja, mas “estamos nos preparando e clamando por esta intenção”. Os festejo é comemorado no último final de semana da setembro.

O português Francisco de Mendonça Mar, encontrou a Gruta, que viria a ser o Santuário do Bom Jesus da Lapa, em 1691. Com vinte e poucos anos de idade, em 1679, chegou a Salvador, na Bahia. Após sofrer uma grande injustiça, distribuiu seus bens, fez-se pobre e acompanhado de uma imagem do Cristo Crucificado e uma pequena estampa de N. Sra. da Soledade, enveredou-se pelo sertão adentro.
Depois de vários meses de caminhada avistou um morro e penetrou numa gruta, onde depositou a cruz que trazia e, ao lado, a estampa da Virgem Maria para viver uma vida de penitência, oração, ajuda aos mais necessitados, evangelizando os índios e escravos fugitivos e cuidando dos doentes num Hospital Asilo que ele mesmo criou, convertendo assim, a sua fé em atitude de amor ao próximo.
No ano de 1703, a pedido do arcebispo de Salvador, Dom Sebastião Monteiro da Vide, viajou até a capital, a fim de prepara-se para o sacerdócio. Foi ordenado em 1706, com o nome de Padre Francisco da Soledade, título dado a Nossa Senhora que era sua companheira na solidão daquele lugar. Voltou para o Santuário como seu primeiro capelão. Conforme as pesquisas, faleceu santamente em 1722 e, no mesmo ano, foi publicado no livro “Santuário Mariano…” do Frei Agostinho de Santa Maria, em Lisboa, Portugal, a biografia do Monge escrito pelo arcebispo da Bahia, o mesmo que o ordenou sacerdote.

No domingo, dia da festa, a programação começou bem cedo com Missa presidida pelo Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte, Dom Vicente de Paulo, CSsR. Foi concelebrada pelo Pe. Devaldo, outros sacerdotes que estavam de passagem pelo Santuário e o Diácono Paulo Gabriel da Arquidiocese de Salvador.

No fim da celebração, o reitor, conduziu as imagens do Bom Jesus e da Senhora da Soledade  com  a tradicional transladação para a Cova do Monge, onde, segundo a tradição, que naquele lugar foi sepultado o Pe. Francisco.  As duas imagens ficaram expostas o dia todo para serem veneradas pelo povo de Deus ao realizarem suas visitas e suplicarem a Virgem Santíssima e ao Santíssimo Redentor pela Beatificação do ermitão da Gruta.

Em todas as celebrações foram elevadas preces ao Altíssimo, para que conforme a sua santa vontade, venha conceder a Francisco a honra dos Altares.

Foto: Ir. Ivanor Borges, CSsR

Na parte da noite, o bispo diocesano, Dom João Santos Cardoso, realizou a última celebração com a presença de milhares de romeiros na esplanda do Santuário. Dom Cardoso, falou da importância de Francisco de Mendonça Mar para este Santuário, recordando um pouco da  história da qual nos apresenta os documentos da época.

Que cada pessoa de fé, romeiros, lapenses, membros das paróquias diocesana e você que ler esta notícia, junte-se ao Igreja da Lapa para suplicar a Deus com a seguinte oração:

Ó Deus, pai de bondade e fonte de amor, humildemente suplicamos a vossa misericórdia. Se for de vossa vontade, glorifique o vosso servo, Padre Francisco da Soledade e mostre ao mundo de hoje, que este zeloso missionário da infinita bondade do vosso filho conseguiu alcançar a glória do céu.
Ó pai, nós vos imploramos que esse vosso servo possa ser colocado para o mundo de hoje, dilacerado pela discórdia e opressão, como exemplo de fraternidade e de verdadeira libertação para os irmãos. Dai-nos o dom da caridade para que, seguindo o seu exemplo de dedicação cristã aos necessitados, aprendemos a amar a Deus nos nossos irmãos. Por Cristo, nosso Bom Jesus, que convosco vive e reina na unidade do Espírito Santo. Amém!

Reze  1 Ave Maria, 1 Pai Nosso e 1 Glória ao Pai pelas investigações e pesquisas pela causa deste caridoso deste missionário

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here