A tragédia de Brumadinho “é o resultado da ganância de uma sociedade que elege o lucro como valor supremo”; diz Dom João

0
174

Na Missa da manhã desta segunda-feira(28), no Santuário do Bom Jesus da Lapa, o Bispo Diocesano Dom João Santos Cardoso  lembrou as vítimas do rompimento da barragem Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), ocorrido no  início da tarde da última sexta-feira (25). Pelo menos, 84 pessoas morreram, e 276 estão desaparecidas.

O religioso afirmou que a tragédia em Brumadinho é um exemplo da violência, resultado da “ganância”. “Infelizmente essa grande tragédia, que muitos falam de crime ambiental, que ocorreu em Brumadinho- MG, é um exemplo da cruz da violência. Várias pessoas mortas embaixo de lama, sufocada por lama. Várias pessoas feridas, e tantas outras, quase 300 desaparecidas. É o espelho da Cruz de Jesus”, e continuou: “é o resultado da ganância de uma sociedade que elege o lucro como valor supremo. E então, para se obter lucro, as  empresas mineradoras pouco se importa com os recursos naturais e com o valor da vida humana”, finalizou.

Brumadinho também  foi lembrada pelo   papa Francisco na Jornada Mundial da Juventude,  durante a Oração  do Angelus, no Lar do Bom Samaritano Juaz Díaz, na Cidade do Panamá, neste domingo(27). O Pontífice citou  a tragédia ocorrida no estado mexicano de Hidalgo, onde a explosão de um oleoduto perfurado ilegalmente mantou até o momento 114 pessoas.  “Desejo expressar meus sentimentos de pesar pelas tragédias que atingiram os estados de Minas Gerais. Confio à misericórdia de Deus todas as pessoas falecidas. Ao mesmo tempo, rezo pelos feridos e expresso meu afeto e proximidade espiritual a seus familiares e a toda a população”, disse.

Já o presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB)  manifestou sua solidariedade para com as vítimas de Brumadinho em uma nota divulgada nesse sábado (26). Os bispos destacam que a tragédia de Brumadinho é  semelhante a que  houve  Mariana (MG), e que o fato ensinou muito pouco ao Poder Público.

“As famílias e as comunidades esperam da parte do Executivo rigor na fiscalização, do Legislativo, responsabilidade ética de rever o projeto do Código de Mineração, e do Judiciário, agilidade e justiça“, destaca o texto.

A CNBB manifesta estar unida também com toda a família arquidiocesana de Belo Horizonte e reforça o pedido do arcebispo dom Walmor Oliveira: “É urgência minimizar a dor dos atingidos por mais esse desastre ambiental, sem se esquecer de acompanhar, de perto, a atuação das autoridades, na apuração dos responsáveis por mais um triste e lamentável episódio, chaga aberta no coração de Minas Gerais”.

“[A CNBB] oferece orações ao Senhor da Vida em favor das famílias, das comunidades da Arquidiocese de Belo Horizonte, atingidas pelo rompimento da barragem da mineradora Vale. Convidamos cada pessoa cristã a se associar aos irmãos e irmãs que sofrem com a perda de seus entes queridos e de seus bens”, diz a entidade.

 

 

Fonte : José Hélio- Noticias da Lapa.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here