Cristo nos convida a viver o Tempo da Quaresma

0
26

A Quaresma é o tempo litúrgico de conversão na Igreja, que acontece durante os quarenta dias que precedem a festa da Páscoa da Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo, quando os católicos dedicam-se à reflexão e a conversão espiritual, recolhendo-se em oração e penitência para lembrar os quarenta dias passados por Jesus no deserto e os sofrimentos que Ele suportou na Cruz. É tempo para que todos se arrependam dos seus pecados, mudem algo a fim de se tornarem pessoas melhores, e assim, vivam mais próximos de Cristo.

No dia 06 de março, celebrou-se a Quarta-Feira de Cinzas, dando início ao tempo da Quaresma. A palavra “Cinzas” surge porque nesse dia, na Santa Missa, o sacerdote faz a imposição das cinzas aos fiéis dizendo as seguintes palavras: “lembra-te ó homem que és pó e ao pó hás de tornar” (Gn 3,19). Sendo para os cristãos um grande símbolo da vida terrena, e tornando-se também, uma preparação para a própria páscoa de cada um.

Na Quaresma, Cristo convida os fiéis a mudarem de vida, e a Igreja os chama para viver, nesse período, um caminho até Jesus Cristo, escutando a Palavra de Deus, orando, compartilhando com o próximo, praticando boas obras, e vivenciando uma série de atitudes cristãs que os ajudem a chegarem mais perto de Jesus Cristo, já que por meio do pecado todos acabam sendo afastamos da presença do Senhor.

A Quaresma ensina ainda, que os cristãos devem conhecer e apreciar a Cruz de Jesus, e com isso cada um é motivado a tomar também a sua cruz, com alegria, para alcançar a glória da ressurreição, se tornando um tempo forte da prática penitencial da Igreja, Conforme ensina o Catecismo da Igreja Católica (CIC), “esses tempos são particularmente apropriados aos exercícios espirituais, às liturgias penitenciais, às peregrinações em sinal de penitência, às privações voluntárias como o jejum e à esmola, à partilha fraterna (obras de caridade e missionárias)” (CIC, número 1.438).

Segundos os Evangelhos, Jesus começou a Sua pregação nos exortando à penitência: “fazei penitência, porque está próximo o Reino dos céus” (Mt 4,17). Rejeitar a penitência é rejeitar a pregação de Cristo desde o princípio. A virtude da penitência inclina o pecador a destruir e reparar os seus próprios pecados. Realizar um ato de penitência é se arrepender e querer se livrar do pecado. Porém não basta somente o arrependimento, a virtude da penitência exige também o propósito de reparar o mal cometido e de não mais tornar a pecar no futuro.

Assim, a penitência, no tempo da Quaresma, por meio da oração, da caridade e do jejum (não somente de alimentos, mas principalmente de atitudes), se projeta nos sentidos do tempo: para o passado, o arrependimento; para o presente, a reparação; e, para o futuro, o propósito de emenda, em Cristo Jesus.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here